Sebrae Previdência aproveita a recuperação de preços de ativos e supera - em 12 meses - Bolsa, CDI e Fundos Imobiliários, logo após o pior trimestre da história

Já nos primeiros dias do mês de abril (até o dia 20) o Sebrae Previdência tem conseguindo recuperar boa parte dos efeitos negativos gerados na carteira de investimentos em consequência dos impactos econômicos da pandemia do Coronovirus, no mês de março.

O Sebrae Previdência apresentou recuperação equivalente a 547% do CDI, até o dia 20 de abril, e agora o resultado no ano do Instituto é queda de 0,89%, frente a quedas de 31,71% da Bolsa e de 20% dos Fundos Imobiliários.

No período de 12 meses (20 de abril), o Sebrae Previdência já supera todos os principais benchmarks do Mercado Financeiro (Acima do CDI, Bolsa e Fundo Imobiliário). Abaixo, tabela com os resultados brutos:


Em comparação com o mercado, o Instituto apresenta resultados, no mês março, bastante superiores aos seus concorrentes. Abaixo, o gráfico mostra a relação Risco x Retorno do Sebrae Previdência e outros Planos de Previdência.




Esse resultado positivo foi obtido graças às ações tomadas nos meses de março e abril. No primeiro momento tomamos várias atitudes com o intuito de proteger a carteira. Foram compradas proteções com opções de Dólar e Ibovespa, além de redução do vencimento da maioria dos títulos, reduzindo o risco de variação negativa dos preços. Aproveitamos algumas quedas de mercado para a compra de ações em Bolsa e compra de títulos públicos que estavam com boas taxas.

A gestão de investimentos do Sebrae Previdência tem se mantido bastante ativa e reativa às repentinas mudanças de cenário, visando mitigar risco de queda de preços quando necessário, mas também visando aproveitar boas oportunidades quando possível.

Diretoria Executiva do Sebrae Previdência

-------------------------------

Fique ligado nas nossas redes sociais: